sábado, 10 de julho de 2010

Pucca - A "Cã" Bebê

Primeiro deixe-me explicar. Minha família de pessoas malucas possui um mói de terras no interior, chamamos este mói de terra de "granja". Ela não é uma granja porque o mói de terras não é grande o bastante para ser chamado de fazenda, embora realmente não seja. Ela é chamada de granja porque ela possui aviários para a engorda de 7 mil pintos - o que rende sete mil piadinhas, uma para cada pinto. Meu padrasto é o administrador do negócio multi-milionário. Nesta granja sempre tivemos cães. Primeiro foi Raio, o cocker spaniel mais mal comprado da face da terra. Lindo ele era, mas um cão com instinto de caça e de pelo longo em uma granja não é exatamente uma boa compra. Quando ele começou a trazer as galinhas do vizinho pelo pescoço e depositá-las orgulhosamente na porta da cozinha, convenci minha mãe que ele teria que ser dado para alguém que o amasse e pudesse mantê-lo longe de outros animais.

Depois veio Zagalo e Natasha, um casal que foi comprado como um casal de boxers mas que, quando começaram a crescer, nós começamos a perceber que havia um traço de boxer neles sim, esse traço de boxer era perceptível em uma noite de chuva, com trovoadas e quando eles estavam atrás de um pé de côco. (entenderam a piada, né?). Natasha morreu cedo, Zagalo foi um grande companheiro para Mini, ela ia para granja e pintava miséria com ele, o cão, nada fazia, no máximo levantava a cabeça, olhava para ela e em alguns momentos parecia até sorrir.

Quando Natasha morreu, meu padrasto comprou Dondoca (perceba a habilidade para nomear cães que meu padrasto tem), uma labrador. Essa era labrador mesmo, mas eu não sei o que aquela granja tem na terra que todos estes cães de grande porte morreram cedo de doenças que os veterinários não conseguiam diagnosticar.

Meu padrasto, pessoa da melhor qualidade, sempre expressou a vontade extrema de ter um daschund. Ele tinha todos esses cães na granja mas sempre quis um companheiro mesmo, daquele que deita em cima do pé e lambe seu dedão. Então, no dia do aniversário do meu padrasto, eu e minha irmã nos juntamos e compramos um dasch para ele. Fomos buscar o cão antes de ir ao bar onde meu padrasto estava. Claro que Mini estava no carro. Quando o cão chegou no carro, Mini batizou na hora: PLUTO! - o que salvou o cão de ser chamado de Coragem, que era o nome que o meu padrasto deu para ele quando chegamos como dasch no bar, e que claro, Mini vetou porque o cão já se chamava Pluto. Ok, Mini na época era mini e assistia muito desenho da Disney.

Com um tempo meu padrasto adotou Jolie, outra dasch de uma vizinha em Recife que não estava mais em condições de criar. Jojó, como era carinhosamente chamada, já foi adotada bem velhinha, viveu seus últimos dias lá na granja e morreu no ano passado. E...Pluto ficou sozinho. Desde então meu padrasto comenta que quer comprar outra dasch preta para fazer companhia para Pluto.

Ontem, minha mãe resolveu fazer feijoada (reparem na noção torpe que a minha família de malucos tem) e pediu para meu padrasto: Traga dois pés de couve e um abacaxi lá do Mercado da Madalena. Meia hora depois meu padrasto chega com dois pés de couve, um abacaxi e uma caixa. Minha mãe disse que achou que ele tivesse comprado o carregamento de abacaxis todo. Mas não, dentro da caixa estava a dasch. Imediatamente me ligaram, "Queremos falar com Mini." e deram a cadelinha para ela, embora a cadelinha vá ficar na granja fazendo companhia para Pluto (desta mesma forma Mini já teve bodes, cabras, coelhos, galinhas e até um pavão). Claro que Mini me fez ir bater lá na casa da minha mãe. A dasch só vai para a granja na terça. Claro que Mini me pediu para trazer para casa, claro que a ANTA aqui aceitou. E com vocês:

Pucca - A cã bebê

Resultado:

1. Ela faz cocô e faz xixi, e eu que limpo.
2. Ela dorme quando estamos todos acordados, acorda quando estamos dormindo, e como eu tenho medo de deixar ela na sala sozinha, eu coloco ela no meu banheiro e ela acorda todo mundo latindo, chorando e uivando.
3. Ela só foi batizada hoje, ontem rolou um surto de falta de criatividade aqui em casa e ela só era chamada de cã bebê, bichinho, e bibilo.
4. Arthur queria chamá-la de vuvuzela e de jabulani, Mini vetou veementemente.
5. Ela descobriu que bom mesmo é em cima do sofá. Quem disse que ela sobe sozinha? Em um dia ela está destruindo toda a capa do meu sofá com suas unhas pequenas e pontudas.
6. Eu sou a única com moral aqui em casa, eu falo NÃO e ela senta automaticamente e levanta as orelhas (imagem acima) - imagina a quantidade de não que eu já falei para conseguir esse resultado.
7. Ela é absurdamente linda e engraçada quando percebe que tem um rabo e ao mesmo tempo não se dá conta que o rabo é dela.
8. Me meti em uma fria terrível, Arthur é louco por cães e agora que Pucca está aqui ele anda pensando em comprar um aqui para nossa residência.
9. Ela decidiu que lugar de fazer necessidades é realmente no meio da minha sala.

Amanhã Pucca volta para a casa de minha mãe, vou levar Mini junto pois segunda viajo ali, para o agreste. Eu tô triste com a ida de Pucca, mas ao mesmo tempo tô tão feliiiizzzz.

Pucca deitada com seu paninho e seus amigos. Maurice é o que mais sofre na mão dela.

Uma coisa eu tenho certeza: Pucca vai, mas o cheiro dela vai continuar aqui por pelo menos um mês. rs

16 comentários:

  1. Morri de fofura aqui, que coisa mais tchutchuquinha! (e morri de rir tbm com Vuvuzela e Jabulani)

    ResponderExcluir
  2. q graça.. eu adoro cachorros, mas não no meu minusculo ap! qdo eu tiver uma casa quem sabe? ehhee.. =)
    bjs.

    ResponderExcluir
  3. que fofura de cã pequena. eu acho que Jabulani é um bom nome, podia prosseguir.

    (tô indo pra roça amanhã. me escreve qdo voltar do Agreste).

    =***

    ResponderExcluir
  4. amiga, pelo menos ela é mais fofinha que o cão sarnento da amiga aline. rsrsrsrsr. eu perco a amiga mas n perco a piada. beijinhos e saudades

    ResponderExcluir
  5. Eu acho animais e crianças sempre ajudam a encher os dias da gente com alegria, mesmo que dêem muito trabalho.

    ^^

    ResponderExcluir
  6. Lenta, hein? Vamos postar algo nessa bagaça.

    ResponderExcluir
  7. Que minúsculaaa!!
    Isso me lembra a filhinha da minha amiga que tem 2 aninhos e troca os Cs por Ts.
    Ela tem uma Pucca grande e uma pequena e fica dizendo: "A Putta e a filha da Putta"
    Ahahahaha

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Tais desaparecida, mulher.. Saudade! :D

    Bjusss

    ResponderExcluir
  9. Você sumiu...

    Gosto de ler suas postagens...

    Volte!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oh meu Deuzinho...
    O que aconteceu com essa criatura? Deixou TODOS nós abandonados, esfomeados e à mercê do que ela bem quiser. Até parece que desquitou dos "olhos de gasolina" que a Mini agora toma todas as atenções aqui dispensada.
    Por Favor Meu Deuzinho...Dê uma palmadas nela e coloque aqui dinovo.
    Bjuss da Fã que acompanhava Feliz da Vida as Histórias de uma familia pernambucana.
    Snifffff Sniffffffff Sniffffffff.

    ResponderExcluir
  11. Minha cã, quando muito pequena, tinha medo de dormir sozinha. Solução: colocar um despertador embaixo das cobertas. O tic tac do relógio passava a impressão de que ela não estava sozinha e ela acalmava-se. haaha
    Há braços!!

    ResponderExcluir
  12. Oi Barata, sumiu foi ? Desistiu do blog? Faz isso nao, please.. vc me diverte tanto!

    ResponderExcluir
  13. Meu cachorro se chama Bono Vox... rá!
    É bem coisa do Art colocar Jabulani... hahaha

    Saudade...

    ResponderExcluir
  14. Menina!!! Você sumiu mesmo!!!

    Feliz 2011 e reapareça!!!

    Abraços e beijos!

    ResponderExcluir